quarta-feira, 6 de maio de 2015

BRT congestiona rodovia em Belém

06/05/2015 - Amazônia Jornal - PA

As obras do BRT na rodovia Augusto Montenegro trouxeram de volta barulho, sujeira e trânsito congestionado. Usuários do transporte público e condutores reclamam da falta de orientação, de direcionamento a vias alternativas e de multas aplicadas pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob).

Nos horários de pico, veículos geram filas de até uma hora para se desfazer em um trecho que não tem nem dois quilômetros. Quem passa por lá, agora precisa sair mais cedo de casa se quiser cumprir os compromissos a tempo.

O problema, apontam condutores e usuários do transporte público, é o estreitamento quase total da pista no trecho mais próximo do Entroncamento. Já próximo da saída da rodovia Augusto Montenegro, fica apenas uma pista disponível, por causa das máquinas, buracos, lama e espaço à passagem dos operários. O espaço reservado aos veículos é delimitado por muretas de concreto.

"Tem sido difícil porque o perímetro aqui nunca foi fácil e agora está muito pior. Não dá mais para estacionar porque multam. E tudo ficou muito lento. Estou precisando gastar mais de uma hora para uma distância que não levava 15 minutos. Deixar só uma pista para uma avenida dessas é um problema", criticou o autônomo Lenilson Souza dos Santos, 35 anos. Sobre a presença de agentes da Semob, ele acha que não adiantou muito.

Proprietários de um comércio de móveis na avenida, Carlos e Ângela Santos estimam em quase 100% os prejuízos. Desde o início das obras, os clientes não puderam mais estacionar ou sequer chegar à loja. Apesar do transtorno, eles apenas pedem que a prefeitura conclua a obra o mais rápido possível.

"Não tem jeito, né? Não tem que fazer a obra? A obra é isso. Só acho que não temos estrutura para isso. Estamos sem alternativa. Se a realidade daqui vai mudar, só vendo", disse. Para ele, faltou transparência e comunicação sobre o impacto na área, além de orientação para alternativas. "Só vejo esse pessoal [Semob] multando e todos parados no mesmo lugar".

"Está demais! Não basta esses ônibus péssimos e lotados! A gente ainda precisa aguentar esse engarrafamento terrível. A gente se atrasa cada vez mais para o trabalho e quase nenhum patrão entende. É só mandando sairmos mais cedo de casa. Tudo é feito na marra", reclama a vendedora Lucileia Simões, 32 anos.

A Semob orienta que, nos dois sentidos da rodovia Augusto Montenegro, o ideal é desviar em qualquer uma das vias que dão acesso ao centro de Belém (rodovia Arthur Bernardes, Estrada do Tapanã, Centenário e rua da Marinha), deixando a área entre rua da Marinha e Entroncamento exclusivamente para quem precisa realmente trafegar neste trecho.

Secretaria informa sobre cronograma de trabalho na área

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), informa que as obras começaram no início de abril de 2015, após a liberação das licenças para o andamento da obra. Foram retiradas árvores e o canteiro central no perímetro entre a rua da Marinha até o Mangueirão.

Após a retirada do canteiro desse trecho, foi iniciada, na segunda quinzena de abril, os trabalhos na outra parte da via, que vai da rua da Marinha até o Entroncamento, realizando também a supressão das árvores e retirada do resto do canteiro. A Seurb ressalta que o BRT segue um plano de trabalho para minimizar os transtornos à população, por etapas.

Assim que for eliminado o canteiro central entre o Entroncamento e o Mangueirão, um total de 2,5 quilômetros, começará a terraplanagem e concretagem da pista expressa, por onde vai passar o BRT. Após a concretagem, as obras passam para a via, onde será feita drenagem, calçamento, ciclovia, urbanização e pavimentação.

O canteiro central já está sinalizado e iluminado nos pontos de retornos, neste primeiro trecho da obra, garantindo a segurança do motorista. Com a eliminação do canteiro central, a prefeitura passou a ciclovia para as laterais da avenida neste primeiro trecho da obra, nos dois sentidos, da rua da Marinha até a igreja Centenário da Assembleia de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário