sábado, 19 de novembro de 2016

Técnicos discutem impacto da implantação do BRT em Teresina

19/11/2016 - Cidade Verde

Os impactos da implementação do sistema de BRT (Bus Rapid Transit) foram apresentados, na manhã desta sexta-feira (18), aos técnicos da Prefeitura de Teresina. A apresentação é resultado da dissertação de mestrado da arquiteta da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), Gabriela Uchoa, mestra pelo University College London. 

Intitulado de “Análise de Investimento em Transporte por meio de Modelos de Interação Espacial em Teresina: Avaliação de Impactos de Implementação de BRT”, a dissertação analisou a implantação do novo sistema a partir de três indicadores: social, ambiental e econômico. A partir deles, foram respondidos questionamentos como a melhoria da acessibilidade, aumento do uso de transporte público e quais zonas teriam um melhor desenvolvimento econômico. 

“O novo sistema seria benéfico para Teresina e teria um desempenho satisfatório. Isso porque, como o novo sistema, mais pessoas passariam a usar transporte público, trocando o carro particular pelo BRT, e também haveria um crescimento econômico no entorno dos corredores”, afirma Gabriela Uchoa. 

Ela lembra que só a melhoria no sistema de transporte não seria suficiente. “Ela deve vir acompanhada de medidas de planejamento urbano, como o tratamento do entorno dos corredores, acesso a moradia em zonas beneficiadas e zoneamento complementar de atividades fora da área central”, pondera. 

Outro ponto destacado é o custo da implantação do BRT, que é menor em relação a outros transportes públicos, como o metro. “O custo de implantação da estrutura do BRT é menor do que os dos demais. Em comparação ao do metro, por exemplo, é dez vezes menor”, comenta Gabriela. 

Em Teresina, estão sendo investidos mais de R$ 320 milhões para implantação do novo sistema. Ao todo, serão oito terminais de integração e corredores de vias exclusivas em 12 avenidas e em algumas ruas que fazem a ligação entre os bairros e o centro da capital piauiense.

“O trabalho de mestrado da Gabriela mostra as vantagens do sistema de BRT e apresenta pontos que podemos melhorar para evitar problemas a médio prazo”, afirma o secretário Municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim. “A intenção é que, com o BRT, mais pessoas possam usar o sistema público de transporte. Com isso, o retorno para a população e para cidade será muito maior”, finaliza. 

O BRT (Bus Rapid Transit) é um sistema de transporte coletivo de passageiros que proporciona mobilidade urbana rápida, confortável, segura e eficiente por meio de infraestrutura segregada com prioridade de ultrapassagem, operação rápida e frequente. O sistema é usado em cidades como São Paulo e Curitiba

Nenhum comentário:

Postar um comentário