quarta-feira, 21 de junho de 2017

BRT inicia o processo de desapropriações em Campinas

20/06/2017 -  Metro Jornal Campinas   

Por Tote Nunes

A Prefeitura de Campinas deu nesta segunda-feira o primeiro passo para a desapropriação de áreas que serão utilizadas para a implantação do BRT – o sistema de corredores exclusivos de ônibus que vai ligar o centro aos distritos de Campo Grande e Ouro Verde.

Neste primeiro momento, foram declaradas de utilidade pública, 23 áreas que, juntas, somam cerca de 13 mil m2, em diversas regiões da cidade. Numa segunda etapa, essas  áreas serão efetivamente desapropriadas para a passagem dos corredores.

Seis dessas áreas estão localizadas ao longo da av. John Boyd Dunlop, por onde deverá correr o trecho do Corredor Campo Grande. Quatro delas, estão ligadas à Fepasa – com trechos desativados da antiga Estrada de Ferro Sorocabana. A maior delas, de 2,7 mil m2.

Há, ainda trechos na Av. Amoreiras, Jardim do Lago, e em bairros  como o Satélite Iris e Novo Ipaussurama.

Considerada a maior obra de infraestrutura viária da cidade, o sistema vai exigir investimentos de aproximadamente R$ 451 milhões.

O primeiro canteiro de obras do BRT foi instalado na última semana de maio, entre os bairros do Bonfim e Botafogo, em área do antigo leito desativado do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos).

Obra

A obra foi dividida em quatro lotes vai começar pelo Corredor Campo Grande.

O Lote 1 compreende o trecho 1 do Corredor Campo Grande, que é a ligação entre a região central até a Vila Aurocan, com extensão de 4,3 km; além do corredor perimetral, com 4,1 km.

O lote  2 é composto pelos trechos 2, 3 e 4 do Corredor Campo Grande. Esses trechos terão a previsão de construção da ligação da Vila Aurocan até o Terminal Itajaí, totalizando 13,6 km.  O trecho 2 é o da Vila Aurocan até a ponte sobre a Rodovia dos Bandeirantes, com 5 km.

O trecho 3 compreende a ponte da Rodovia dos Bandeirantes até o Terminal Campo Grande, totalizando 6,4 km.

Por fim, o trecho 4, do Terminal Campo Grande até o Terminal Itajaí, totalizando 2,2 km. O responsável será a Empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio. O valor total do lote é de R$ 191 milhões.

No total, o Corredor Campo Grande terá 17,9 km de extensão. Saindo da região central, o corredor vai seguir pelo leito desativado do VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí. Neste trecho, serão construídas 12 pontes e viadutos.

O BRT está sendo projetado para atender a uma população de 450 mil pessoas que nos dois distritos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário